Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. Clarice Lispector
Escrevo como se estivesse dormindo e sonhando: as frases desconexas como no sonho. É difícil, estando acordado, sonhar livremente nos meus remotos mistérios.Clarice Lispector

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Cavaleiro....



Cavaleiro medieval.
De alma generosa.
Com coragem e lealdade.
Veste-se da mais bela armadura.
Lanças e escudos a compõem.
Em seu cavalo forte e veloz.
Defende castelos.
Nobre cavaleiro.
Ama de modo cortês.
A mais linda princesa.
Defende o seu amor.
Ela o renega.
Cavaleiro-vilão.


Roseli A.

domingo, 25 de abril de 2010

Avassaladora...

video

Provocação...


Você me provoca.
Me provoca pelo que és.
Você sozinha basta para me provocar.
Como já disse e repito: Gosto!
Gosto do seu sorriso.
Gosto do olhar atrevido.
De imaginar seu beijo bandido.
Sua mão passeando pelo meu corpo.
Me excitando.
Me atiçando...
Você sozinha me deixa quase louco.
Você sozinha tira meu sossego.
Invade meu refúgio...
Meu amor proibido.


Roseli A.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Silêncio....



Solidão não me apavora.
Gosto do silêncio...

Silêncio incita reflexão.
No silêncio da noite,
gosto de ouvir meus pensamentos.
Pensamentos loucos e lúcidos.
Que trazem sabedoria.
Que amadurece a alma.

Roseli A.
 

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Fragilidade...



Hoje não quero ser mulher forte.
Quero ser sensível e delicada.
Quero braços que me envolvam.
Quero c0lo para me aconchegar.
Quero mãos que fazem carinhos.
Lábios que digam palavras suaves.
Fragilidade?
Sim e daí?
Na fragilidade também encontro minha força.
Na fragilidade também sou mulher.

Roseli A.


domingo, 18 de abril de 2010

Loba...


Sou côncavo e convexo.
Essencialmente bela.
Beleza interior.
Sou sonhadora.
Se me perco, sigo em frente.
Me (re)invento.
Não sou metade, sou inteira.
Me entrego por inteira.
As vezes enlouqueço, me permito ousar.
Não gosto de coisas mornas.
Prefiro o fogo.
Fogo é vida.
Somente o fogo me explica.
No fogo me perco.
No fogo me acho, me encaixo.
Sou intensa.
Não sou burra e nem santa.
Para que ser santa?
Já nem sou mais criança.
Apesar de travessa.
Sou esperta.
Leio as entrelinhas.
Sou mais riso que pranto.
Sou o que vivi.
E tudo que ainda vou viver.
Transparente.
Sou dia e noite.
Em noites de lua cheia me transformo.
Sou loba.
Conheço minha alma e meu corpo.
Misteriosa.
Imperfeita e Inconclusa.
Dona do meu nariz.
Das minhas vontades e são muitas.
Complexa.
Então, não procure me entender.
Apenas me ame, sem querer.
Roseli A.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Metamorfose....



Borboletas vivem para voar.
Para voar precisam de energia.
A energia buscam no néctar das flores.
As cores das asas, camuflam.
Um aviso aos predadores.
Permanecendo vivas, se reproduzem.
Se os formatos e as cores das asas servem para identificá-las.
Também impressionam e seduzem um parceiro.
As borboletas acasalam.
As fêmeas botam ovos e os adultos morrem.
Dos ovos saem lagartas que se desenvolvem.
Transformam as mesmas borboletas de vida curta.

Roseli A.

sábado, 10 de abril de 2010

Sintonia...


No quarto, o silêncio prevalece.
No silencio, troca de olhares.
Nossos corpos se pedem.
Beijos molhados...
Carícias arrebatam suaves gemidos...
Arrepios...
O cheiro da pele.
O ventre ele conhece o gosto.
Harmonia e sintonia.
Sintonia, que nos liga à mesma freqüência.
Corpos entrelaçados.
Côncavo e convexo.
No seu corpo me perco.
No seu corpo me acho.
Nesse amor eu me acho e me encaixo.
Roseli A.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Saudades...


Hoje eu senti saudades.
Uma saudade diferente.
Que arde no peito.
Que deixa um vazio.
Que acaba em lágrimas.
E uma grande saudade.
Não do tempo vivido.
Mas do que não senti.
Do que não vivi.
De alguém que nunca existiu.
Do amor que não aconteceu.
Das palavras não ditas.
Do corpo que não me pertenceu.
Hoje a saudade me fez companhia.
Roseli A.

domingo, 4 de abril de 2010

Enquanto dormes...


Enquanto dormes,
te contemplo.
Acompanho sua respiração.
Viajo em teus lábios.
Contemplo teu corpo desnudo.
Nele me entrego em pensamentos.
Enquanto te contemplo,
ofereço-te minha gratidão.
Por me deixar te contemplar.
Por tê-lo comigo.
Enquanto dormes,
te contemplo.
Para não o despertar.


Roseli A.

sábado, 3 de abril de 2010

A Cidade...


É manhã de primavera.
Caminho pelas ruas estreitas e calmas.

Observo a arquitetura das casas, os jardins floridos.

Nas ruas, contemplo as árvores das calçadas.

Nelas, os ipês depositam suas flores.

Na pequena praça, jardins coberto de flores.

Brancas, vermelhas e amarelas.

Fecho os olhos.

Sinto o perfume.

Caminho entre borboletas...

Contemplo o azul do céu infinito.

As nuvens parecem flocos de algodão.

Formam desenhos variados, basta imaginação...

Sigo pensativa.

Noto a chegada da andorinha.

Prenúncio de uma nova estação.

Roseli A.


sexta-feira, 2 de abril de 2010

Igreja Nossa Senhora Aparecida..





Estava pesquisando algumas imagens e achei dois vitrais da igreja Nossa Senhora Aparecida em Mandaguari, Paraná. Esta igreja tem belos vitrais e um belo mosaico na entrada. Fiquei muito emocionada, já que voltei no passado e lembrei da menina de cabelos longos que um dos amigos do meu pai chamava de "indiazinha". Também recordei das missas aos domingos. Do presépio, ainda, tão presente em minha memória. Lembrei até mesmo da bolsa que esqueci no banco da igreja...rsrs...Morávamos ao lado da casa paroquial e era possível ouvir o relógio da igreja que tocava ao compasso do meu coração. Já se passaram 20 anos...Que Saudades!...




Feliz Páscoa!...


Que, na Páscoa, nossa fé seja revigorada pela certeza de que Cristo ressuscitou e está entre nós!

1Coríntios 5:7: “Expurgai o fermento velho, para que sejais nova massa, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado”.